quarta-feira, 27 de abril de 2011

Mas tantos defeitos tenho, sou inquieta, ciumenta, áspera, desesperançosa. Talvez amor dentro de mim eu tenha. Só que não sei usar amor: às vezes parecem farpas…

Aprendi que amar é enfrentar as dificuldades de frente, aceitar aquilo que não podemos mudar e lutar sempre pelo melhor
Aprendi que não adianta se importar com o passado. O que passou, passou, não volta mais e nem é possível mudar os acontecimentos. Temos que viver sempre o hoje, porém pensando apenas no amanhã. Os fantasmas do passado devem ficar onde estão: no passado 
Aprendi a confiar mais em mim. Aprendi que posso fazer alguém feliz. De nada vai adiantar eu me rebaixar ou me desmerecer.
Aprendi a não perder tempo com ciúme. Aprendi que todos temos uma história, que todos já pensamos que seria para sempre e acabou não sendo. Aprendi que todos já nos entregamos a paixões e desejos que hoje, anos mais tarde, vemos como erros, mas sem eles, não seríamos o que somos agora.
Aprendi que quando amar de verdade, devo viver cada dia como se fosse o último. Nunca sabemos o dia de amanhã e deixar para depois para dizer ou fazer aquilo que vai no coração pode ser tarde demais.
Aprendi que são as diferenças que nos completam e nos fazem crescer.
Aprendi que alguns medos são infudados, que alguns defeitos atribuídos a mim não eram exatamente meus e que no fim das contas, a culpa não era minha.
A vida segue … e o aprendizado também!

1 comentários:

Jordana disse...

lindooo'leio todos e aco um cada mais lindo que os outros

Postar um comentário